Sexta-feira, 14 de fevereiro de 2014.

Brics elegem áreas para aprofundar cooperação em ciência e tecnologia

 

Os Brics – bloco formado por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul – oficializaram a decisão de aprofundar a cooperação em ciência, tecnologia e inovação (CT&I). Nesse sentido, o grupo estabeleceu cinco áreas temáticas de trabalho: alterações climáticas e mitigação de desastres naturais; recursos hídricos e de tratamento da poluição; tecnologia geoespacial e suas aplicações; energias alternativas e renováveis; e astronomia.

Essas diretrizes integram a Declaração da Cidade do Cabo, aprovada nesta segunda-feira (10) como resultado do Primeiro Encontro de Ministros de Ciência, Tecnologia e Inovação dos Brics, na cidade sul-africana.

O documento expressa a intenção de enfrentar os desafios socioeconômicos globais e regionais comuns ao bloco; gerar novos conhecimentos e produtos inovadores, serviços e processos; e promover parcerias com outros atores estratégicos no mundo em desenvolvimento.

Os ministros participantes – Marco Antonio Raupp, entre eles – propõem que o memorando seja assinado pelos chefes de Estado dos cinco países na 6ª Cúpula do Brics, marcada para julho, em Fortaleza.

Foco na igualdade

A declaração ressalta a importância da ciência, da tecnologia e da inovação para o desenvolvimento humano. E pondera que, a despeito da relevância da competitividade no ambiente global de rápida mudança tecnológica, a base da cooperação em CT&I entre os países do bloco deve estar centrada nas pessoas e no bem público, de forma a apoiar o crescimento equitativo e o desenvolvimento sustentável.

Os signatários defendem o estímulo ao investimento conjunto no desenvolvimento de altas tecnologias, a criação de plataformas tecnológicas comuns e a criação de centros e laboratórios de pesquisa aplicada e de inovação. Sugerem, ainda, o estabelecimento de mecanismos para transferência de tecnologia e conhecimento e a criação de um programa de intercâmbio estudantil no âmbito do grupo de nações para enfrentar seus desafios de capital humano.

 

Fonte: http://www.mcti.gov.br/index.php/content/view/352787/Brics_elegem_areas_para_aprofundar_cooperacao_em_ciencia_e_tecnologia.html 

 

Terça Feira, 28 de janeiro de 2014.

CNPq lança terceira edição das pioneiras da ciência no Brasil

O conselho nacional de desenvolvimento Científico e Tecnológico CNPq/ MCTI) divulgou a terceira edição das Pioneiras da Ciência no Brasil. Em parceria com a Secretaria de Políticas para as Mulheres da Presidência da República (SPM), a publicação tem o objetivo de dar visibilidades às mulheres e suas contribuições para determinada área de conhecimento.

Foram selecionadas cientistas de diversas áreas do conhecimento que tiveram relevante atuação como pesquisadoras e contribuíram para a formação de suas áreas e desenvolvimento da ciência. A iniciativa faz parte do programa Mulher e Ciência, cujo objetivo é estimular a produção científica e e a reflexão acerca das relações de gênero, mulheres e feminismos no país e promover a participação das mulheres no campo das ciências e carreiras acadêmicas.

Fonte: http://www.mcti.gov.br/ index.php/content/view/253415/CNPq_lanca_terceira_edicao_das_Pioneiras_da_Ciencia_no_Brasil.html 

 

Fapergs lança edital de inclusão digital para capacitar 12,8 mil pessoas no RS

A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio Grande do Sul (Fapergs), vinculada à Secretária da Ciência, Inovação e Desenvolvimento Tecnológico (SCIT), lançou nesta segunda-feira (13) o programa Redes Digitais de Cidadania, que vai investir mais de R$ 2,6 milhões em inclusão digital. O edital tem o objetivo de capacitar profissionalmente 12,8 mil pessoas em Tecnologias da Informação e Comunicação  (TICs) por meio de cursos de ensino à distância.

Do total, R$ 2,1, milhões são provenientes do Ministério das Comunicações e R$ 523,2 mil da Fapergs. Serão oferecidos cursos de extensão para qualificar gestores municipais, formar agentes e monitores nas áreas de agricultura familiar, cultura e para os espaços públicos de acesso à internet. O edital é destinado a Instituições Federais no Ensino Superior  (IFES), Universidades Públicas Estaduais e Instituições Científicas e Tecnológicas (ICTs) públicas ou privadas.

Inscrições

A inscrições serão abertas até às 23h59 do dia 14 de março no endereço eletrônico sig.fapergs.rs.gov.br. A divulgação dos resultados ocorre no dia 5 de maio. O edital também pode ser acessado no site www.fapergs.rs.gov.br, no menu Formas de Apoio/ Editais (Abertos).

Fonte: http://www.fapergs.rs.gov.br/

 

Quinta-feira, 05 de dezembro de 2013.

 
 

Secretária da Ciência abre avaliação de projetos para investir R$ 7,7 mi em conteúdos digitais

 

A secretária em exercício da Ciência, Inovação e Desenvolvimento Tecnológico, Ghissia Hauser, e o diretor científico da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio Grande do Sul (Fapergs), José Miguel Reichert, abriram nesta sexta-feira (27) o processo de avaliação dos projetos inscritos no Programa Arranjos Produtivos Gaúchos. O edital, publicado no início de junho, é voltado a instituições de Ensino Superior para criar um centro de produção e pós-produção de conteúdos digitais criativos. O valor destinado é de R$ 7,7 milhões.

Os conteúdos digitais envolvem as áreas de cinema, televisão, computadores, smartphones, tablets, jogos eletrônicos e outras mídias eletrônicas. O objetivo do edital é tornar mais densa a cadeia produtiva do setor, articulando os arranjos produtivos locais instalados ou em formação no Rio Grande do Sul. O projeto selecionado receberá os recursos para investir e custear o centro, em um prazo de 24 meses para a estruturação.

Em âmbito nacional, o Ministério das Comunicações ambiciona melhorar o posicionamento do Brasil no mercado global por acreditar que o País tem potencial para ser um pólo de conteúdos digitais.

O comitê especial que avalia tecnicamente as propostas é composto pelo representante do Ministério das Comunicações, Flávio Ferreira Lima, o secretário adjunto de Cultura do RS, Jéferson Assumção, o professor da Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" (Unesp), Juliano Maurício de Carvalho, e pelo professor da Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos), Milton do Prado Franco Neto.

A divulgação preliminar do resultado sai no dia 4 de outubro. A data limite para interposição de recursos é 11 de outubro. A divulgação final será no dia 21 do mesmo mês. Outras informações sobre o edital podem ser consultadas no site www.fapergs.rs.gov.br, no menu editais (abertos).

Fonte: http://www.fapergs.rs.gov.br/

 

 

 
Terça-Feira, 08 de maio de 2012
 
 

Ministro da C&TI conhece potenciais científicos do Estado e recebe pleitos da FAPERGS e SCIT

FAPERGS entrega pleito de R$ 20 milhões ao ministro.

O ministro da Ciência Tecnologia e Inovação, Marco Antônio Raupp esteve com uma intensa agenda no Estado do Rio Grande do Sul visitando universidades, laboratórios de pesquisa e conversando com a comunidade científica. No dia 13/04, Marco Raupp foi recebido pelo governador do Estado Tarso Genro, juntamente com  o secretário da Secretaria de Ciência, Inovação e Desenvolvimento Tecnológico- SCIT, Cléber Prodanov a diretora presidente da FAPERGS, Nádya Pesce da Silveira, dentre outras autoridades. Nádya da Silveira fez um resumo dos pleitos da Fundação destacando os Editais PROBIC; o Programa Primeiros Projetos/ CNPq; o Observatório de C, T &I; o Programa de Apoio a Núcleos Emergentes (PRONEM); Programas Estruturantes; Programa de Interação Universidade Empresa e apoio ao setor de microeletrônica do Estado, com uma demanda de R$ 20 milhões de investimentos para o atendimento dos mesmos.

A diretora da FAPERGS, Nadia da Silveira, na ocasião entregou ao ministro Marco Raupp um documento, detalhando os pleitos da Fundação, e um convite para receber a Medalha Sylvio torres, na solenidade do Prêmio Pesquisador Gaúcho, que será realizada em 30 de outubro, na FIERGS, dentro do Congresso Internacional da Inovação.

Fonte:  http://www.fapergs.rs.gov.br/

 

 

Terça-Feira, 08 de maio de 2012

 

Ministro anuncia R$ 13,9 milhões para parques tecnológicos do RS

No dia 13 de abril, em Porto Alegre ocorreu uma reunião com o ministro da Ciência e Tecnologia, Marco Raupp, e o governador do Rio Grande do Sul, Tarso Genro. O titular do MCTI anunciou, em sua passagem pelo Rio Grande do Sul, o pagamento de R$ 13,9 milhões referentes a emendas parlamentares de 2009 para os parques tecnológicos de Novo Hamburgo, Lajeado, Santa Cruz e Pelotas. Cada um deles irá receber cerca de R$ 3,5 milhões.

No intuito de alinhar as políticas entre as duas esferas de governo, Raupp entregou a Tarso um documento com as metas da União para o desenvolvimento do setor previstas pelo ministério, até 2015, e pediu apoio para fortalecer as ações principalmente junto ao Centro Nacional de Tecnologia Eletrônica Avançada (Ceitec) no estado. Tarso garantiu apoio e destacou a importância da empresa publica federal, ligada ao MCTI, que busca o desenvolvimento de negócios inovadores no setor de microeletrônica.

Raupp também anunciou a aplicação de R$ 15 milhões na construção da primeira fase do Instituto de Semicondutores, em São Leopoldo, até o final do ano, em sua visita à Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos). No local, ele conheceu a empresa HT Micron, primeira fábrica gaúcha de semicondutores em escala industrial.

Encontro com reitores

O secretário estadual da Ciência, Inovação e Desenvolvimento Tecnológico, Cleber Prodanov, afirmou que este foi o primeiro contato público do ministro com as universidades do estado, representadas por cerca de 20 dos 25 reitores de instituições de ensino superior gaúchas. Prodanov destacou que a oportunidade serviu para mostrar que as políticas públicas estão afinadas com a União e que a consolidação do Rio Grande do Sul no setor ganhou força. "A expectativa se confirmou, já que tínhamos a aprovação do projeto do Instituto Tecnológico de Semicondutores da Unisinos [IT Chip]. Sem dúvida, um centro especializado em semicondutores é muito importante", disse Prodanov.

Segundo o ministro, as reivindicações da secretaria foram aprovadas por mérito. Ele aproveitou a oportunidade para destacar que todos os bons projetos terão inteiro apoio do governo. "A presidenta Dilma Rousseff afirmou que não vão faltar recursos. O ministério, além de executar o orçamento, irá buscar recursos complementares também por outras vias", afirmou. Raupp ressaltou que, até o final do ano, deve ser anunciado um novo edital para fomento aos parques tecnológicos no Rio Grande do Sul.

Também participaram do encontro: o secretário de Desenvolvimento e Promoção do Investimento, Mauro Knijnik, o presidente da Fundação de Ciência e Tecnologia (Cientec), Luiz Antonio Antoniazzi, e a presidenta da Fundação de Amparo à Pesquisa do Rio Grande do Sul (Fapergs), Nádya Pesce da Silveira.

Fonte:http://www.mct.gov.br/index.php/content/view/337390.html

 

 
Segunda-Feira,  09 de abril de 2012
 

 

Ministro da C,T & I programa visita a todas as FAP’s do país e virá à FAPERGS dia 13 de abril

O ministro da CT&I, Marco Antônio Raupp, visitará todas as Fundações de Amparo à Pesquisa do país. Essas visitas terão como objetivo, debater formas de estreitar parcerias do ministério e de suas agências de fomento com as Fundações. No dia 22/03 o Ministro visitou a FAPERJ. O encontro contou com a presença de uma comitiva de assessores. Nesse encontro o ministro Marco Raupp fez uma afirmação: “Não é possível desenvolver uma política nacional de Ciência e Tecnologia sem a integração do ministério com os estados".

Já no dia 13 de Abril o Ministro Marco Raupp, estará na FAPERGS e dará continuidade ao programa de visitas a todas as FAP's do Brasil.

Fonte: http://www.fapergs.rs.gov.br/

 

 

Segunda-Feira, 09 de abril de 2012

 

Governo do Estado lança o FAC 2012: R$ 10 milhões para a cultura

 

Em evento realizado dia 03 de abril no teatro Bruno Keifer da Casa de Cultura Mário Quintana,  com a presença do governador Tarso Genro e demais parlamentares foi anunciado o investimento de R$ 10 milhões na cultura. Os recursos permitirão que a Secretaria da Cultura realize os dois primeiros editais de Estímulo ao Desenvolvimento da Economia da Cultura. Um deles vai para a sociedade civil e o outro para prefeituras municipais. O governador destacou a importância que o setor tem no governo. Segundo a Secretaria de Ciência, Inovação e Desenvolvimento Tecnológico (SCTI), o lançamento do edital vem ao encontro das políticas de incentivo à Indústria Criativa da Secretária (SCTI).

Os editais

O diferencial destes primeiros editais é que, ao invés de determinarem áreas culturais, os textos propõem que cada segmento encaixe seu projeto em uma das finalidades do processo criativo, reforçando o conceito de Economia da Cultura. Tal iniciativa dialoga, segundo a Secretaria da Cultura, com um conceito contemporâneo de cultura, no qual as fronteiras entre as áreas estão diluídas. Assim, a seleção de projetos de todas as áreas culturais e artísticas acontecerá de acordo com cinco finalidades: Apoio à Criação e Produção; Apoio ao Registro e à Memória; Apoio à Difusão e à Circulação; Apoio à Programação Continuada em Espaços Culturais e Apoio à formulação de Indicadores, Informação e Qualificação.

Ainda no primeiro semestre de 2012, serão lançados os demais editais para concessão de apoio à programação em Feiras de Livro e a projetos de eventos com mais de cinco edições realizadas. O FAC também vai conceder Prêmios nas áreas de Artes Cênicas, das Artes Visuais, da Música e do Audiovisual. Projetos de educação patrimonial, de circulação de acervos históricos e de curadoria de acervos em museus públicos de artes visuais também compõem o conjunto dos 6 editais do FAC neste ano.
Fonte: http://www.scit.rs.gov.br/

 

 

Quarta-Feira, 07 de março de 2012

 
 
 
 
 
 

INOVAÇÃO E DIVULGAÇÃO DE PROJETOS EM JORNAIS SÃO NOVOS CRITÉRIOS  DE AVALIAÇÃO DA PRODUÇÃO CIENTÍFICA

 

Site:http://agenciabrasil.ebc.com.br/noticia/2012-03-04/inovacao-e-divulgacao-de-projetos-em-jornais-sao-novos-criterios-de-avaliacao-da-producao-cientifica#

 

 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Segunda-feira, 07 de novembro de 2011

 

De 9 a 11 de novembro de 2011 em Curitiba estará ocorrendo o IV Simpósio Nacional de Tecnologia e Sociedade. Durante o evento haverá a primeira assembléia da ESOCITE.BR.

Site: http://ct.utfpr.edu.br/ocs/index.php/tecsoc/2011


Segunda-feira, 07 de novembro de 2011

Apresentações na MPU/2011

Na manhã do dia 26 de agosto de 2011 foram apresentados na 10° Mostra de Produção Universitária da Universidade Federal do Rio Grande dois trabalhos vinculados ao Laboratório de Divulgação de Ciência, Tecnologia e Inovação Social (LaDCIS/FURG) sob orientação da Profa. Dra. Maíra Baumgarten.

O estudo intitulado “Extensão Universitária: As Interações Entre Universidade e Sociedade”, apresentado pela bolsista Andressa Josiane de Lima, obteve destaque no 20° congresso de iniciação científica. Este estudo, inserido na linha de pesquisa: Sociedade, universidade e produção de conhecimento, faz parte de uma investigação da base de dados sobre projetos de extensão da FURG que tem o objetivo de avaliar as formas e condições de transferência do conhecimento científico e tecnológico para a sociedade.

Além deste, a bolsista Thiele Da Silva Mendonça apresentou um estudo intitulado Divulgação e Disseminação De Ciência E Tecnologia – Universidade e Sociedade”. O trabalho desenvolvido refere-se a uma investigação realizada a partir da base de dados sobre projetos de extensão da FURG (disponibilizada pelo SIGPROJ) com o objetivo de avaliar as formas e condições de apropriação social de conhecimentos produzidos pela universidade.

 

Segunda-feira, 07 de novembro de 2011

Apoio ao Aquífero Guarani

Agência FAPESP – O Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) e a Secretaria do Meio Ambiente do Estado de São Paulo lançaram em 21 de setembro o livro Subsídios ao Plano de Desenvolvimento e Proteção Ambiental da área de afloramento do Sistema Aquífero Guarani no Estado de São Paulo.

O Sistema Aquífero Guarani (SAG) é um dos mais importantes reservatórios de água doce do planeta e é compartilhado entre quatro países do Mercosul: Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai. No Brasil, estende-se por oito estados das regiões Centro-Oeste, Sudeste e Sul.

A área de ocorrência do SAG possui clima subtropical, recursos hídricos superficiais abundantes e cobre uma área de 1,1 milhão de km². Sua localização, associada ao grande potencial hídrico, o torna estratégico para o desenvolvimento econômico e social da região.

Para José Luiz Albuquerque Filho, pesquisador do Centro de Tecnologias Ambientais e Energéticas (Cetae) do IPT e coordenador-geral do livro, a gestão deste aquífero é fundamental para que o recurso não se perca sem trazer benefícios à sociedade.

“A área de afloramento do Sistema Aquífero Guarani é vulnerável à contaminação. Ele possui águas antigas e sua extração deve ser efetuada com critério, pois sua renovação levaria dezenas de milhares de anos”, disse.

De acordo com dados da Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental (Cetesb), cerca de 80% dos municípios paulistas são abastecidos, mesmo que parcialmente, por água subterrânea.

Os interessados em adquirir a versão eletrônica do livro devem fazer a solicitação pelo e-mailEste endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo..

Fonte: http://agencia.fapesp.br/14536

 

Segunda-feira, 07 de novembro de 2011

Menos verba para pesquisa nos Estados Unidos

Agência FAPESP – A American Association for the Advancement of Science (AAAS) e diversas outras sociedades científicas, universidades e centros de pesquisa nos Estados Unidos enviaram uma carta aos membros do Congresso do país destacando o “papel crítico” da pesquisa e desenvolvimento.

A carta é uma resposta ao corte proposto pelo governo norte-americano no orçamento destinado à ciência e tecnologia e outros setores em tentativa de diminuir o déficit federal. O orçamento do ano fiscal 2011 ainda não foi aprovado pelo Congresso.

“A ciência inovativa protege a segurança pública e nacional e apoia a prosperidade econômica. Investir agora em pesquisa científica importante resultará na criação de empregos e reforçará a economia norte-americana a longo prazo”, destaca o documento.

“Cortar o financiamento à ciência de modo a reduzir a dívida nacional não apenas afetará adversamente a inovação imediata, mas também reprimirá o crescimento futuro e colocará em risco a segurança nacional.”

Segundo o documento, a história mostra que grande parte do crescimento vivido pelos Estados Unidos desde o fim da Segunda Guerra Mundial é resultado do forte apoio para os investimentos em ciência e tecnologia.

Mas, de acordo com o texto, apesar do alto retorno desse investimento, o financiamento federal à pesquisa em comparação com o produto interno produto (PIB) do país caiu 60% nos últimos 40 anos.

“Somado ao financiamento federal estagnado nos últimos dois anos, isso representa uma tendência insustentável que não pode continuar no ano fiscal 2012. Em comparação, a China aumentou seu investimento em pesquisa em desenvolvimento a uma taxa anual de 5,7% sobre o PIB entre 2001 e 2007”.

Fonte: http://agencia.fapesp.br/14530

 

Sexta-feira, 4 de novembro de 2011

 

 

Professora Maíra Baumgarten falou sobre divulgação de ciência, tecnologia e inovação social no dia 4 de novembro de 2011, na 57º feira do livro de Porto Alegre, no evento Encontros com o Livro – Trabalho e Tecnologia: permanente mutação, durante o lançamento do Dicionário Trabalho e Tecnologia

 

Quinta-Feira, 3 de Novembro de 2011.


Aconteceu entre os dias 26 e 29 de outubro o XV Congresso de Sociologia, em Curitiba na UFPR, com o tema mudanças, permanências e desafios sociológicos.

Vídeo Promocional do Congresso

 

Segunda Feira, 31 de outubro de 2011

 

Orçar a crise e o futuro da Fapergs

 

Francisco Marshall

 

É estarrecedora a situação orçamentária vivida historicamente pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio Grande do Sul (Fapergs). De 1995 a 2008, a Fapergs recebeu em média 15,34% de sua rubruca orçamentária; o máximo já transferido foi 27,93% (1998), e o mínimo, 1,47%(2008). A Fapergs está, há muitos anos, quase inoperante. Esta crise evidencia um desdém continuado pela legalidade e pelo desenvolvimento do Rio Grande do Sul. Não há como aceitar ou justificar esta situação, que reclama situação imediata, a vem de todos e do futuro de nosso Estado.

A constituição do Estado do Rio Grande do Sul, em seu artigo 236, destina à Fapergs dotação equivalente no mínimo a 1,5% da receita líquida de impostos, determinação esta regulamentada na Lei Complementar Estadual n} 9.103, de 8 de julho de 1990. Com a força destes dispositivos legais, deliberados democraticamente e bem propositados, nada mais caberia, senão o cumprimento da lei e a realização incondicional e imediata do repasse de recursos. Não há nenhum argumento moral, legal ou fiscal que sustente esse desdém pela legalidade. O descumpromento desses artigos é irresponsabilidade fiscal e orçamentária explícita, bem como ofensa à votação de desenvolvimento do Estado, delitos esses tristemente impunes.

Note-se que se trata de um percentual, ou seja, uma medida proporcional, que será menor ou maior conforme a arrecadação do Estado, o que ecologicamente, compromete o sistema científico com o crescimenteo econômico. Não se justifica em hora de penúria cortar recursos da fonte que pode alavancar a superação.

A meta da Fapergs é estimular a pesquisa científica local para que esta se conecte com todos os aspectos da sociedade regional, gerando desenvolvimento amplo. Além disso, esses recursos são decisivos para incubação de projetos e para a formação de recursos humanos, necessários em todas as áreas do conhecimento, da economia e da sociedade. O sucesso da Fapergs reflete-se diretamente do desenvolvimento regional.

Portanto, ao nos perguntarmos por que a sociedade sul-rio-grandense está estagnada economicamente, pode-se apontar sem chance de erro que o sucateamente ilegal e irresponsável da Fapergs é parte relevante do drama. Hoje, convivemos com falta de tecnologias e de recursos humanos de bom nível praticamente em todas as áreas. Eis aí causa central deste atraso.

A correção deste triste quadro é muito simples. Basta o cumprimento elementar da lei, atribuindo-se, no orçamento do Estado do Rio Grande do Sul, a medida orçamentária de 1,5% acima referida, sem qualquer tipo de condicionante, transição ou tergiversação. Posteriormente, cumpre executar este orçamento, sem barganhas injustificáveis. A comunidade científica está madura para receber estes recursos e transformá-los em numerosos benefícios para o Estado. Cientistas, acadêmicos, professores e cidadãos rogamos, pois, que as autoridades do Executivo e do Legislativo ajam com legalidade e espírito público, e não hesitem em, afinal, corrigir este triste quadro de inconsistência legal, fiscal, orçamentária e estratégica que penaliza a Fapergs e o Rio Grande do Sul.

*Historiador e arqueólogo, professor da UFRGS

Artigo de Francisco Marshall, Zero Hora quinta-feira 27 de outubro de 2011, Artigos, página 21.

 

Terça-Feira, 18 de outubro de 2011.

 

Semana Nacional de Ciência e Tecnologia.

 

Durante os dias 19, 20 e 21 de outubro o LaDCIs e a SBPC  estão organizando diversas atividades dentro da Semana Nacional de Ciência e Tecnologia no Rio Grande do Sul: o II Ciclo cinema e ciência, II Oficina de Jornalismo Científico, sobre o Simpósio Ciência, Riscos e Desastres e sobre o I Simpósio de Interação Universidade/Empresa na UFRGS. As atividades têm apoio do Programa de Pós-graduação em Sociologia da UFRGS, da Faculdade de Economia da UFRGS, Unisinos e do CNPq.

O objetivo do II Ciclo Cinema e Ciência é debater as relações entre ciência e sociedade e as repercussões da ciência e da tecnologia na vida cotidiana, através de filmes que abordam temáticas diversas, os filmes apresentados terão entrada franca e início às 14 horas. Na quarta-feira, dia 19, será apresentado o filme “Piratas do Vale do Silício” (Martyn Burke, 1999) com debate coordenado por Alex Niche Teixeira, professor do Departamento de Sociologia da UFRGS e membro do Grupo de Pesquisa Violência e Cidadania. Será exibido no dia 20 “Avatar”, de James Cameron, com coordenação de Marilene Schmaczek, da SBPC. O último filme do ciclo no dia 21 será “Blade Runner”, cult de Ridley Scott que terá debate coordenado por Maíra Baumgarten, da SBPC e do Laboratório de Divulgação de Ciência, tecnologia e Inovação Social (LaDCIs/UFRGS).

A II Oficina de Jornalismo Científico é uma atividade que tem por objetivo promover o debate entre profissionais e estudantes de Jornalismo sobre as relações entre ciência e sociedade e as formas de divulgar a ciência. A atividade terá mediação de Christa Berger e contará com a participação dos seguintes palestrantes: Maíra Baumgarten, Rosana Zucolo e Ronaldo Henn.

O Simpósio Interação Universidade/Empresa tem por objetivo promover o debate sobre as relações universidade-empresa e sua relação com o desenvolvimento. A atividade é coordenada Por Helio Henkin, diretor da FCE/UFRGS e os debatedores são: Achyles Barcelos da Costa da SBPC, Maria Alice Lahorgue, FCE/UFRGS e SBPC e Ricardo Felizzola da empresa AltusSA e Vice-presidente do CIERGS.

A promoção é do Programa de Pós-graduação em Sociologia da UFRGS, da SBPC e do LaDCIs. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone 3308.3662.

 

Resumo das atividades da semana 2011 SBPC-LaDCIS

 

 

 

Quinta-feira, 3 de Fevereiro de 2011

 

Diversidades e (Des)igualdades é o tema que orientará os debates do XI Congresso Luso-Afro-Brasileiro de Ciências Sociais, a ser realizado na Universidade Federal da Bahia, em Salvador, de 07 a 10 de agosto de 2011.

Durante o evento, especialistas em Ciências Sociais e Humanidades de diversos países - especialmente Angola, Moçambique, Cabo Verde, Guiné-Bissau, São Tomé e Príncipe, Portugal e Brasil - estarão reunidos para debater a diversidade e a complexidade de suas sociedades, privilegiando um enfoque comparativo e confronto de diferentes perspectivas teóricas e metodológicas.

Nesse momento encontram-se abertas as inscrições para Apresentação de Comunicações Individuais. Estudantes de Pós-Graduação e profissionais podem optar entre os 91 Grupos de Trabalho disponíveis em 11 Eixos Temáticos. Serão priorizadas Comunicações de resultados de pesquisa concluída ou em andamento.

Prazo: até 14 de março de 2011
Inscrições através do site internet www.conlab.ufba.br

Quinta-feira, 27 de Janeiro de 2011

Nesta terça-feira, dia 25, assumiu o cargo de presidente do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).o professor Glaucius Oliva.

Glaucius ocupava a Diretoria de Engenharia, Ciências Humanas, Exatas e Sociais do conselho. É graduado pela Escola de Engenharia da Universidade de São Paulo (USP). Fez o mestrado na área de física, também na USP, e é doutor pela University of London.

Oliva é professor titular do Instituto de Física de São Carlos (USP) e é coordenador do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia de Biotecnologia Estrutural e Química Medicinal em Doenças Infecciosas, parceria entre o Ministério da Ciência e Tecnologia, o Ministério da Saúde e a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp).

Quarta-feira, 26 de Janeiro de 2011

O líder da bancada do PT no Senado e ex-candidato ao governo de São Paulo, Aloizio Mercadante, assumiu na segunda-feira (dia 3) o cargo de ministro de Ciência e Tecnologia no governo da presidente Dilma Rousseff. A transmissão do cargo começou por volta das 10h10, em Brasília.

Mercadante nasceu em Santos (SP) em 13 de maio de 1954. Formado em Economia pela Universidade de São Paulo (USP), fez mestrado na área pela Universidade de Campinas (Unicamp) e é professor licenciado na Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP) e da Unicamp.

Além de senador desde 2003, ele foi deputado federal entre 1991 e 1994 e de 1999 a 2002, e também ocupou a vice-presidência nacional e a secretaria de relações internacionais do PT. Em 1994, abriu mão de uma provável reeleição para a Câmara dos Deputados, e foi vice na chapa de Lula à Presidência da República.

No PT, Mercadante também participou da elaboração dos programas de governo do partido e coordenou as eleições presidenciais de 1989 e 2002.

 

Quarta-feira, 19 de Janeiro de 2011

 

Secretário Cleber Prodanov toma posse na Secretaria da Ciência, Inovação e Desenvolvimento Tecnológico do RS

Na solenidade de transmissão de cargo ocorrida nesta segunda-feira (3/01), na Secretaria da Ciência, Inovação e Desenvolvimento Tecnológico, o secretário Cleber Cristiano Prodanov disse que sua nova função na vida pública representa um grande desafio. “Aceitei o convite do governador Tarso Genro por acreditar no projeto proposto para a ciência e tecnologia do nosso Estado, valorizando o que foi feito e implementando ações que levem ao protagonismo que a secretaria merece”.

Segundo Prodanov, seu trabalho inicial será de composição, de criação de oportunidades e de articulação com academia, empresas e demais segmentos da economia e sociedade gaúchas.  Assegurou também que a Inovação estará presente transversalmente em todas as ações da secretaria.

Compareceram à posse os presidentes das entidades vinculadas e membros do Conselho Estadual de Ciência e Tecnologia além de outros convidados.

 

Quinta-feira, 28 de Outubro de 2010

 

A dissertação de mestrado de Raquel Folmer Côrrea, pesquisadora do LaDCIS, intitulada "Tecnologia e Sociedade: Análise de Tecnologias sociais no Brasil contemporâneo", defendida em outubro de 2010, recebeu voto de louvor da banca examinadora composta pelos seguintes professores: Profa. Dra. Maíra Baumgarten (chefe da banca), Prof. Dr. José Vicente Tavares dos Santos (PPG em Sociologia/UFRGS); Profa. Dra Rosinha Carrion (PPG em Administração/UFRGS) e Prof. Dr. Alex Niche Teixeira (Departamento de Sociologia/UFRGS).

Tecnologia e Sociedade: Análise de Tecnologias sociais no Brasil contemporâneo

Autora: Raquel Folmer Côrrea
Orientadora: Profa. Dra. Maíra Baumgarten


Resumo
Nesta dissertação, investiga-se de que maneira, e em que medida, o desenvolvimento de tecnologias sociais pode influenciar a sustentabilidade socioeconômica de coletividades locais em situação de vulnerabilidade social no Brasil atual. Examinam-se contribuições teóricas do campo de estudos que relaciona Ciência, Tecnologia e Sociedade (CTS), tendo em vista a analise de perspectivas acerca da neutralidade da ciência e do determinismo tecnológico. Discutem-se influencias recíprocas entre ciência, tecnologia e sociedade, de modo a relacioná-las a contextos socioculturais, políticos e econômicos. Apresentam-se dados que possibilitam ampliar a compreensão das qualidades constitutivas de tecnologias sociais, tendo em vista a geração de uma base de informação na qual é possível localizar, caracterizar e analisar iniciativas de desenvolvimento dessas tecnologias em escala nacional. Foram estudadas tecnologias sociais desenvolvidas no Brasil entre 2001 e 2007, de modo a identificar que tipos de  tecnologias são desenvolvidos, como ocorre a distribuição geográfica dessas tecnologias, em que temas os problemas relatados se concentram, que entidades estão relacionadas, quais os parceiros dessas entidades e que coletividades locais estão relacionadas, quais os parceiros dessas entidades e que coletividades locais estão envolvidas. Os dados foram coletados no sítio do Banco de Tecnologias Sociais (BTS) do Fundação Banco do Brasil (FBB), disponível em WWW.tecnologiasocial.org.br/bts. A análise dos dados envolveu uma abordagem quantitativa, que foi executada com o auxilio do programa Excel, e uma apreciação qualitativa, com ênfase nos conteúdos das descrições presentes nos dados coletados. Os resultados mostram discrepâncias entre propostas conceituais usuais de tecnologias sociais e iniciativas concretas de implantação, o que leva tendencialmente as iniciativas de desenvolvimento dessas tecnologias a configurarem-se como medidas paliativas, focadas na assistência, fragilizando o enfoque na sustentabilidade. Esta dissertação integra o projeto Repercussão Sociais da Ciência: tecnologia e inovação e social (ReSCis). Foi desenvolvida no Laboratório de Divulgação de Ciência, Tecnologia e Inovação Social (LaDCIS) e contou com o apoio do CNPq.

 

Quinta-feira, 15 de julho de 2010

 

CONFERÊNCIA REGIONAL SUL DE CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO
Eixo IV - Ciência, Tecnologia e Inovação para o Desenvolvimento Social (Produção de
Conhecimento, Educação e CT&I, Democratização e Cidadania)

Links:

Documento base
Documento final da Região Sul (RS; SC;PR)
Síntese

Quinta-feira, 22 de abril de 2010

Nos dias 25 e 26 de março, Porto Alegre sediou a 1ª Conferência Regional Sul de Ciência, Tecnologia e Inovação. Com a coordenação da Secretaria da Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul, o evento reuniu pesquisadores, estudiosos, professores e representantes da sociedade em geral dos três Estados que compõem a região sul do País.

O objetivo principal do evento é discutir o desenvolvimento das políticas de ciência, tecnologia e inovação (CT&I) e estudar propostas para o estabelecimento destas políticas visando o desenvolvimento sustentável do país, em temas agrupados de acordo com os eixos estratégicos: I – Sistema Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação, II – Inovação na sociedade e nas empresas, III – Pesquisa, desenvolvimento e inovação em áreas estratégicas, IV – Ciência, tecnologia e inovação para o desenvolvimento social. A coordenadora do LaDCIS, Maíra Baumgarten, coordenou as discussões referentes ao quarto eixo.

Após as discussões, os coordenadores das plenárias apresentaram as conclusões de cada grupo, o que resultou em um documento oficial com as propostas da Região Sul para as atividades da 4ª Conferência Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação, que se realizará entre 25 e 28 de maio, em Brasília.

 

Sexta-feira, 12 de março de 2010

O Ladcis participou, nesta quarta-feira (10/3),  da primeira Conferência Estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação, encontro que precede a 1ª Conferência Regional Sul e a 4ª Conferência  Nacional sobre o tema. No evento, foram discutidas questões estratégicas para o desenvolvimento econômico e social do Rio Grande do Sul.

Após a solenidade de abertura, os participantes foram divididos em quatro grupos correspondentes aos eixos de debate da Conferência Nacional. Os eixos fundamentais estiveram em pauta: Sistema Nacional de Ciência Tecnologia e Inovação (educação e CT&I); Inovação na Sociedade e nas Empresas (desenvolvimento sustentável, investimento e inovação); Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação em Áreas Estratégicas (produção de conhecimento, sessões técnicas); Ciência, Tecnologia e Inovação para o Desenvolvimento Social (democratização e cidadania). A coordenadora do LaDCIS, Maíra Baumgarten, participou na coordenação do quarto eixo.

A vice-presidente do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), Wrana Panizzi, esteve presente no encerramento das atividades, quando foram apresentadas as conclusões de cada eixo, pelos coordenadores dos grupos. Na oportinidade, ela saudou a iniciativa cujos resultados serão apresentados na Conferência Regional Sul de C,T&I, nos próximos dias 25 e 26 deste mês, em Porto Alegre.